#EstagioDeFerias - Cia do Leite, por Núbia Ribeiro

17.09.2018

Meu nome é Núbia Ribeiro, sou graduanda do oitavo período de zootecnia, na UFLA. Sou integrante do UFLALEITE – Grupo de Apoio à Pecuária Leiteira, atualmente com o cargo de Diretora de Marketing. Nas últimas férias, em julho, realizei um estágio na empresa de assistência técnica em pecuária leiteira, Cia do Leite. Na primeira semana do estágio fiquei no laboratório de qualidade do leite da empresa, onde pude acompanhar como são feitas as análises microbiológicas do leite na rotina do laboratório. Sou bolsista do CNPq, e desenvolvo meu trabalho de pesquisa no laboratório de Microbiologia do Departamento de Medicina Veterinária da UFLA, e lá realizo análises microbiológicas do leite também, então pude aperfeiçoar técnicas na empresa, diferentes das que estou acostumada a realizar, e ao mesmo tempo, contribuir com o conhecimento que adquiri em meu trabalho no laboratório da UFLA.

 

Nas duas semanas seguintes, fui para a cidade de Socorro – SP, acompanhar a zootecnista da empresa que é responsável pelo trabalho de qualidade do leite na região. A empresa desenvolve um projeto vinculado ao MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, cujo o objetivo é a redução de CCS e CBT (contagem de células somáticas e contagem bacteriana total no leite, respectivamente) no leite. O projeto é desenvolvido com os produtores que entregam seu leite a um laticínio em Socorro. Durante o estágio, selecionávamos produtores que estavam com a CCS e/ou CBT alta para visitarmos. Nas visitas, seguíamos um protocolo onde estavam listados itens que deveriam ser avaliados para encontrar o motivo do elevado valor de CCS e/ou CBT.

 

Visitando as fazendas, pude conhecer diferentes realidades de produção de leite, haviam propriedades que produziam 40 litros de leite por dia, até propriedades com 2700 litros por dia, com diferentes sistemas de criação, do menos tecnificado, ao mais tecnificado. Com essas visitas, descobri que não existe a melhor forma de criar vacas para produção de leite, e sim que existe a melhor forma para determinado local e produtor. É possível produzir com qualidade mesmo sem ter a melhor tecnologia, muitos pequenos produtores, que tiram o leite ainda manualmente, tem a CCS e CBT baixíssima, enquanto muitos, com ordenhadeira mecânica, fosso e produtos para desinfecção, apresentaram altíssimos valores. O segredo está no manejo! Não adianta ter tudo para ser o melhor em qualidade, se o serviço for feito de qualquer maneira. Foi uma experiência incrível, pude pela primeira vez lidar diretamente com o produtor, e com isso aprendi muito.

 

Fica minha dica para quem quer trabalhar com assistência técnica: não tenha medo, procure um técnico que já trabalha na área e vá para o campo, temos muitas coisas a aprender e o resultado do aprendizado é surpreendente!

Essa postagem faz parte da série #EstagioDeFerias, na qual os alunos que trabalham com a Prof. Marina escrevem suas experiências com estágios realizados nas férias. O objetivo desta série é evidenciar a importância de se adquirir experiências práticas, no mundo real, para complementar a formação acadêmica. Visite o site com frequência para conferir outras histórias como esta.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • LinkedIn Social Icon

© 2017 por Marina Danes.

logo lattes.jpg